Uma Visão Sistêmica da Vida nas Organizações

The Systems View of Life

Recentemente organizei, em conjunto com a Sustainable Brands, um webinar com a participação de Fritjof Capra, no qual discutimos como introduzir o pensamento sistêmico e uma visão sistêmica da vida nas organizações. Em janeiro desse ano publiquei a entrevista que fiz com Firtjof Capra intitulada A Nova Revolução Coperniana, e em agosto o convidei para realizarmos um webinar de forma a aprofundarmos as questões tratadas na entrevista, além de ser uma oportunidade para os participantes interagirem e formularem suas perguntas, assim como contribuirem com suas reflexões e ideias sobre o assunto.

Além de cientista e teórico de sistemas renomado, Fritjof também é um educador ambiental e um dos mais reconhecidos ativistas ambientais e, por isso, abri o nosso webinar perguntando como ele vê as mudanças no ativismo ambiental nas últimas décadas, para o qual respondeu:

A principal mudança foi a emergência de uma nova sociedade civil – uma coalisão internacional formada por ONGs utilizando websites e redes sociais para compartilhar informação e mobilizar seus participantes em uma velocidade incrível. Em meu ponto de vista, essa sociedade civil global tem suas raízes na contracultura da década de 1960. Tenho idade suficiente para me lembrar dos anos 1960: tínhamos um sonho de uma cultura alternativa fundamentada em paz, espiritualidade, justiça social, liberação sexual, entre outras questões. Porém, não sabíamos como realizar esse sonho, exceto por breves períodos em comunidades utópicas.

No final da década de 1980, estávamos no alge do que Bernie Sanders hoje chama de “revolução política”. Porém, quando algo inexperado aconteceu na década de 1990, a Revolução da Tecnologia da Informação, que nos proporcionou não somente a liberdade da internet, mas um novo materialismo e um novo capitalismo global, globalização econômica com poder das corporações sem precedentes com consequências desastrosas. Foi necessária uma década para a contracultura absorver esse desenvolvimento e, em 1999 essa nova sociedade global emergiu em Seattle, declarando sua oposição à chamada ideologia neoliberal. Bem, estes são somente alguns highlights de uma longa história do ativismo em quarto décadas.

O mais recente livro de Fritjof, A Visão Sistêmica da Vida, foi escrito com seu grande amigo e colega Pier Luigi Luisi, uma das maiores autoridades mundiais no estudo da origem da vida e auto-organização e sistemas naturais e sintéticos. Fritjof introduz sua síntese desse trabalho da seguinte forma:

A Visão Sistêmica da Vida é o nome que dei para um novo conceito de vida que emergiu na ciência nos últimos trinta anos. Na fronteira da ciência contemporânea, o universo não é mais visto como uma máquina composta por blocos elementares. Descobrimos que o mundo material é uma rede inseparável de padrões de relacionamento; que o planeta como um todo, é um sistema vivo que se autoregula.

A visão do corpo humano como uma máquina e da mente como uma entidade separada foi substituída por outra visão que não vê somente o cérebro, mas também o sistema imunológico, os tecidos, e inclusive cada célula como um sistema vivo e cognitivo. A evolução não é mais vista como uma luta competitiva pela existência, mas antes como uma dança de cooperação na qual a criatividade e a constante emergência de novidades são as forças direcionadoras. E com uma nova ênfase na complexidade, redes e padrões de organização, uma nova ciência da qualidade está lentamente emergindo.

Agora, no coração dessa mudança de paradigmas encontramos uma mudança fundamental de metáforas, ou seja, de ver o mundo como uma máquina para entendê-lo como uma rede. Uma rede, como todos sabem, é um padrão de relações. Assim, para entender redes precisamos pensar em termos de relacionamentos e padrões. Na ciência isto é conhecido como “pensamento sistêmico” e por isso chamo o novo conceito de vida de visão sistêmica.

Um dos primeiros obstáculos na introdução do pensamento sistêmico nas organizações é o fato de que as universidades, que estão organizadas por disciplinas separadas, não são capazes de preparar seus alunos com a abordagem que é inerente à multidisciplinaridade. Como Fritjof ressalta:

Um professor de biologia normalmente não se sente confortável em falar sobre mudança climática, ou um professor de ciências sociais em falar sobre mente e consciência. A visão sistêmica da vida cobre todas essas áreas.

Para superar esses desafios, Fritjof teve a inspiração de criar o Capra Course, um novo curso online baseado na A Visão Sistêmica da Vida que consiste na apresentação de doze aulas previamente gravadas e um fórum de discussão com contato direto com Fritjof durante todo o curso. Como Fritjof explica:

A visão sistêmica da vida é crítica para todas as profissões atualmente porque a maioria dos problemas de nossos tempos são problemas sistêmicos – todos interconectados e interdependentes – e eles necessitam de uma correspondente solução sistêmica. Uma visão sistêmica da vida provê um arcabouço conceitual para cada solução sistêmica.

Se por um lado já caminhamos bastante em apoiar as organizações a desenvolverem uma maior visão sistêmica sobre os desafios que enfrentam, ainda temos um longo caminho a percorrer. No webinar tive a oportunidade de revisar o caminho que a Sustainable Brands, sendo uma rede e comunidade, já percorreu como um grande propagador do pensamento sistêmico, com inúmeros exemplos tais como Dr. Sirikul Laukaikul, que desenvolveu um conceito de sufficiency economy e o Venerable Phra Anil Sakya que no SB San Diego desse ano falou sobre a necessidade de se cultivar o senso de moderação.

No ano passado KoAnn, a fundadora da Sustainable Brands, abriu o evento em San Diego com uma observação de que estamos ficando cada vez melhores em identificar os problemas e as soluções a partir de um ponto de vista diferente do usual, bem como melhores em ver os sistemas de forma mais integral. Em 2014, KoAnn convidou Maria e eu, como autores do livro HolonomicsBusiness Where People and Planet Matter, para palestrarmos no SB London, no qual, além da palestra de abertura do evento também ministramos um workshop intitulado Holonomic Thinking – Upgranding Our Leadership Skills and Systems Thinking for the New Economy. Na palestra da plenária, Maria falou sobre seu trabalho introduzindo os valores humanos universais de paz, verdade, amor, retidão e não-violência em grandes organizações no Brasil, valores esses que são fundamentais para uma mudança sistêmica no contexto dos negócios.

Credit: Capra Course

Credit: Capra Course

Tenho grande respeito pela KoAnn Skrzyniarz não somente por trazer para o palco e compartilhar profundas ideias e filosofias com as maiores organizações e marcas do planeta, mas também por reconhecer que muitas marcas não estão ainda fazendo o suficiente para implementarem soluções sistêmicas. Por essa razão, no final do webinar, Fritjof e eu discutimos o que mais os negócios deveriam fazer. Fritjof resumiu seu ponto de vista dizendo como os negócios precisam fazer a mudança de “destruidores da vida” para “promotores da vida”:

Em minha visão, o maior desafio de nossos tempos é criar e nutrir comunidades sustentáveis, comunidades nas quais nossa forma de viver, negócios, economias, tecnologia, e assim por diante, não interfiram na habilidade inerente da natureza sustentar a vida.

Então eu poderia dizer que uma organização que seriamente aceita esse desafio precisa perguntar a si mesma: nossos produtos e serviços são destruidores da vida ou promotores da vida? Isto é muito maior que ter um departamento de reciclagem de papel e plástico. O core dos negócios precisa ser questionado.

Durante o webinar muitas pessoas aproveitaram a oportunidade de utilizar o chat e compartilharam muitos links interessantes, Todos esses links estão disponíveis no final da página do webinar. O fato de esse webinar ter sido o mais visto entre todos já realizados pela Sustainable Brands demonstra o quão relevante este assunto é para aqueles que desejam implementar soluções positivas e promotoras da vida em seus negócios e organizações. Foi um imenso prazer realizar esse webinar e tenho a certeza de que esse é o início de muitas outras importantes conversas.

Para ouvir o webinar em sua totalidade, por favor acesse: Introducing the Systems View of Life into Organizations with Fritjof Capra.

A próxima edição do Capra Course iniciará no dia 28 de setembro. Caso sua organização, empresa ou universidade, tenha interesse em realizar uma edição do curso internamente, por favor me contate utilizando o formulário nessa página: Contato

Este artigo foi primeriramente publicado no Sustainable Brands: Introducing the Systems View of Life Into Organizations

* Traduzido por Maria Moraes Robinson

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s